domingo, 24 de janeiro de 2016

Voltando a escrever

     Bom dia!
     Após um ano sem escrever em nosso blog, mais uma vez sinto-me motivado para fazê-lo, embora nossa expedição para a Patagônia (Ushuaia) tenha ficado somente nos planos, tudo certo, afinal, foi por uma boa causa, devido a eleição para gestão na escola que trabalhamos e minha esposa (Silvia) era proponente, se elegeu  com grande aceitação.       Diante disto, nossa nova aventura ficou para o futuro, e para não perder o hábito de estar na estrada, mais uma vez fomos dar aquela  "esticadinha" até nossa boa e velha Foz do Iguaçu, sempre passando pela Argentina para tomar uma kilmes e fazer as costumeiras comprinhas no Paraguai, mas desta vez foram comprinhas mesmo, afinal com o dólar na casa dos $4,10, o negócio ficou nada motivador.

    Nosso  refúgio de praxe,  Hostel Paudimar, como sempre ótimo em tudo, preço, conforto, segurança, e sobretudo na possibilidade de fazermos novos amigos. Este ano conhecemos e fizemos amizade com cariogaúcho, cariocas, franceses, uruguaios e ingleses, mas para que isso não fique confuso vamos aqui nominá-los, o cariogaúcho a quem me refiro, é o Diego, um gaúcho que mora no Rio de Janeiro e sua simpática esposa Clarice, o Diego foi nosso intérprete durante as conversas com o casal de franceses Alain Arnaud e sua esposa Marie Christine, estes fazem uma viagem pelo mundo, a bordo de sua Teneré, saíram da cidade de Sisteron na França, e pelo que estou acompanhando em seu sitio (www.motards-nomades.com), a viagem tem sido maravilhosa, e seu projeto um sucesso, pois pelo que entendi eles também divulgam uma famosa marca de acessórios para "rally de motocicletes", afrente falarei um pouco mais sobre eles, quanto ao Diego, sua habilidade no francês, deve-se a ter estudado a língua, o que viabilizou seu trabalho na Pegeot e sua viagens à França. Na quinta feira chegamos tarde ao Paudimar, e senti um cheiro gostoso de churrasco, era o Diego mandando bem na churrasqueira, só fomos nos conhecer na sexta à noite, pois motivado pelo cheiro de churrasco da noite anterior, lá fui eu para providenciar o nosso churras, o fogo já estava aceso, mais uma vez lá estava o cariogaúcho, foi assim que nos conhecemos, dividindo a churrasqueira e no final saboreando um bom churrasco e tomando uma gelada. Papo vai, papo vem, chegaram os franceses, saudação contida, mas Diego encorajado por Clarice fez a ponte entre os idiomas, muitas risadas, trocas de informações, conselhos encorajadores.No sábado, nos aproximamos de Daniel (Batman) brincadeira, e sua esposa Robyn, ele uruguaio, ela inglesa, mais ambos erradicados na Itália, gente muito boa, claro que nossa aproximação com eles se deu por estarem a bordo de uma espécie de perua 4x4, com placas do Canadá, isso sempre desperta nossa atenção, afinal nosso sonho é viajar o mundo, Daniel nos disse que queria ir para a Bolívia para conhecer o Salar de Uyuni e queria atravessar o Paraguai para ir até lá, eu fui logo dando o relato que tenho com base nas informações obtidas no sitio dos mochileiros.com, ou seja, a polícia é muito corrupta, não aconselho, assim fomos estendendo nosso papo, e minha esposa e eu é claro, viajando na viagem deles, pois sempre é assim, quando conhecemos novos viajantes, na medida em que vamos ouvindo seus relatos vamos imaginando nossa futura viagem, o lamentável é que eles não possuem nenhum meio de compartilhamento das aventuras que fizeram, que não foram poucas, pois Daniel começou se aventurar quando era jovem, iniciou por sua Terra Mater", Uruguay. Minha única preocupação, é que não quero que "a morte me encontre um dia", sem ao menos eu ter feito um pouco destas viagens, mas se isto é plano de Deus, não vamos apenas passar pela vida e sim vivê-la intensamente desbravando esse mundo fantástico que Deus nos "regaló". Fotos realizadas, comentário de nossos filhos Laura e Antonio, "dá vontade de morar no Paudimar. Vamos mudar para cá?? " kkkk eles são nossos parceiros de viagem, por enquanto, porque crescem e voam. Domingo de preguiça na piscina e preparação psicológica para força tarefa de levantar acampamento. Pois íamos jantar em Medianeira /PR, na casa de amigos/irmãos. Nos utilizando da frase de Daniel "tudo que começa tem que acabar". Medianeira missão cumprida,jantar na casa de nossos amigos e irmãos em Cristo,Elemar e Dejanira, e de quebra um passeio na pracinha de Medianeira, nos chamou atenção o costume do pessoal por estas paragens, final de semana é cadeira de praia e tererê na pracinha. Acordamos na segunda feira por volta das oito da manhã, e após delicioso café, nos despedimos de nossos amigos,e rumamos para Caçador/SC, para partilhar com sogra e sogro mais uns dias, pois só passamos por lá. Auxilio no jardim, banho na Negrinha(cachorrinha), jantar nos cunhados...Enfim...Palhoça. 21/2 trabalhar ajudando minha diretora preferida. Completando a frase de Daniel, é muito bom quando acaba bem...Obrigado Senhor por estarmos aqui compartilhando nosso curto, mas excelente passeio. Nossa casa está aberta aos "viajeros andantes que comparten del mismo sueño".

    
                                                                     Marie, Alain, Antonio, Silvia, Ricardo, Diego, Clarice e Laura fotografando 

domingo, 18 de janeiro de 2015

Tríplice Fronteira com enfase a Argentina

Passado mais um ano de muito trabalho e estresse, e como infelizmente nossa ida ao Ushuaia foi adiada mais uma vez, restou-nos uma nova investida na tríplice fronteira, mas desta vez com direito a desbravar algumas cidades novas na Argentina e aproveitar com mais amplitude as belezas de Foz do Iguaçu.
Bernardo de Yrigoyen - Compras
Vanda -
Andresito-
San Antonio -
Porto Libertad-
Puerto Iguaçu e Cidade de Leste (Paraguai).
Desta vez tivemos a companhia de meu irmão Rafael e de nossa cunhada Adriana. Cada vez a família Avila se reduz a cada viagem, nesta somente o nosso caçula nos fez companhia.





sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Oeste Catarinense e Tríplice Fronteira Parte III - Cataratas lado Argentino

11/01/2014 - Tiramos o dia para visitar as Cataratas do Iguaçu do lado Argentino.Para se chegar ao Parque, pega-se a ruta que leva a Posadas, rodando aproximadamente 12 km pela ruta 12,chega-se ao Parque Nacional Iguazú.
O ingresso só pode ser pago em moeda local, nem cartão de crédito é aceito, portanto é bom levar pesos na carteira. O estacionamento também é pago em pesos e recomendamos que você pague na hora que for comprar os ingressos, pois evita ter que enfrentar fila duas vezes. Para acessar as passarelas existe um trem que leva os visitantes até as margens do rio, dali em diante é pernas pra que te quero. 
Caminhamos debaixo de um sol escaldante, mais as maravilhas do lugar justificam o esforço.
Recomendamos muita água, lanche e protetor solar. O que nos chamou atenção foram os peixes e as gralhas que parecem ser domesticados, pois parecem pousar para as fotos. As borboletas eram encantadoras, elas pousam nas mãos dos turistas (Nós). Finalizamos nosso passeio com direito a  um delicioso banho da "garoa" produzida pela queda d'água da Garganta del Diablo, ponto muito disputado pelos turistas que escolhem o melhor ângulo para suas fotos.








                                                             Garganta do Diabo
                                                                  Encantando borboletas






Após a visita às cataratas, voltamos ao camping para saborear um lanche regado com queijo e presunto argentino, uma garrafa de pomelo bem geladinha.
Uma das vantagens que se tem em ficar nos campings e hostels, é que se conhece muita gente bacana de vários lugares do Brasil e do Mundo, conhecemos  um casal muito bacana, o Marcelo e a Lú, ele sargento da aeronáutica, ela secretária de escola. Embora só os tenhamos conhecido em nossa última noite no camping, ainda assim deu para ficarmos bons amigos, provavelmente em razão de termos algo em comum, o gosto por viajar. Saboreamos uma boa garrafa de champanhe, que havíamos comprado na Argentina e papeamos até horas da noite, até fizemos planos de uma viagem juntos e de quebra o Marcelo nos deu o "bizu" de visitarmos o templo Budista de Foz, vejam só, mesmo tendo viajado muitos anos por aqui, nós ainda não tínhamos  feito este passeio.


Ponte Tancredo Neves - Divisa Brasil e Argentina


Minha querida na divisa Brasil/Argentina

Toni nosso filho amado curtindo um game e uma rede.


                                    Minha rainha se refazendo do passeio as cataratas 

                      Com Nossos amigos Marcelo e Lú - Viajando nos planos de viagens
                                   Vista de Ciudad del Leste a partir do templo Budista
                                                                   


                                               Show... Valeu a dica Marcelo


                                               


                                Meditação............

Belo...né


segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Oeste Catarinense e Tríplice Fronteira - Parte II

09/01/2014 - Acordamos cedinho, desfrutamos um delicioso café da manhã que é servido
no camping e rumamos em direção a Ponte da Amizade. Decidimos que tiraríamos dois dias para visitar o Paraguai, um para olhar com tranquilidade e outro para fazer as compras. Quem diria , finalmente vindo a Ciudad de Leste como turista "Ufa". Entramos com o carro para Paraguai, afinal vale apena a julgar pelos preços que os taxistas estão cobrando para  atravessar a ponte. Deixamos o carro no estacionamento da Americana, 
R$ 5,0 por hora. Nosso filho Toni estava ansioso para comprar seu PSP,passamos o restante do dia em Ciudad del Leste, e no final o que era para ser um dia só para e "espiar" as lojas, já havia nos rendido bem mais do que uma cota (300 dólares). Passamos pela Aduana, muito tranquilamente, e embora estivessem abordando alguns carros, o nosso não foi desta vez, ainda bem pois pretendíamos utilizar nossas cotas no dia seguinte, onde aí sim iriamos fazer a DBA (Declaração de Bagagem Acompanhada). Próximo das cataratas, resolvemos fazer uma "boquinha", paramos em uma pastelaria que tem inúmeras mesas distribuídas em meio a sombra e fomos saciar nossa fome, não antes do filho e da filhinha do proprietário virem nos rodear e fazer perguntas ao nosso pequeno Toni sobre o "bendito" game; tudo bem né criança atrai criança ou game atrai criança, sei lá só que para quem trabalha em contato com elas o ano inteiro não é bem isso que se quer no período de férias hehehe...brincadeirinha. Retornamos para o camping e fomos curtir uma piscina. Aproveitando a deixa, quero aproveitar para parabenizar toda a equipe do Hostel Paudimar Campestre,que é simplesmente magnifica, iniciando pela turma do Rafael na recepção, até os meninos do bar, recomendamos a todos que queiram desfrutar de um lugar seguro,aconchegante e com ótimas instalações, tanto na área de camping como na área de hostel. 
Chegando em Ciudad del Leste - Paraguai


10/01/2014 - Como já havíamos programado este era o dia dedicado a fazermos nossas compras no Paraguai. Acordamos bem descansados, desfrutamos do bom e velho café da manhã do Paudimar, e rumamos para Ciudad del Este. Mais uma vez entramos de carro, travessia muito tranquila apesar do trânsito, (por aqui a atenção tem que ser redobrada). Deixamos nosso carro no estacionamento das Americanas (5,0 R$ por hora), e saímos as compras. Passamos o dia no Paraguai e no final da tarde regressamos ao Brasil, antes porem passamos na Aduana da Receita Federal para fazermos a nossa DBA (Declaração de Bagagem Acompanhada). Para nossa surpresa, a Receita não emite mais este documento, apenas é feito um cadastro no sistema, que acusa que você fez uso de sua cota de isenção (300 dólares).
Retornamos para o camping e a noite fomos jantar na Argentina (Puerto Iguaçú), na chegada da cidade um acidente com um caminhão que transportava trigo, que capotou na pista, e  nos chamou a atenção que o pessoal estava saqueando toda a carga, inclusive juntando a farinha da pista, se o maradona passasse por alí o problema com a farinha estava resolvido hehehe . Jantar bem gostoso, pra variar a base de Pollo e papa frita. Demos uma volta na cidade e até tentamos visitar a famosa (lá Feria), mas não encontramos lugar seguro para estacionar o carro. Nesta época enquanto os Argentinos fazem caravana para nossas praias, nos os brasileiros, disputamos espaços na tríplice fronteira.
Visitamos uma igreja evangélica, o pessoal do grupo de jovens estava ensaiando, então saímos de fininho para não atrapalhar, aproveitamos para passar no mercado Ruta 12 para aproveitar os preços, e voltamos para o aconchego do camping.


Fila para passar na Aduana Argentina

Acidente com caminhão de farinha

                                        Corram juntem tudo.... o Maradona está chegando

                                           Pollo e papas fritas hum!

sábado, 18 de janeiro de 2014

Oeste Catarinense/ Argentina e Tríplice Fronteira

Após um árduo e longo ano de trabalho, com alegrias, lutas, provações e muita perseverança, finalmente as merecidas férias. Nossa viagem ao Ushuaia foi adiada para o segundo tempo da prorrogação, no entanto não desanimamos, e o hábito de pegar a estrada fala mais forte, nem que sejam meros 2200 kilometros.

Decidimos que iriamos a Foz do Iguaçu, para visitar as cataratas e principalmente para fazer umas comprinhas na boa e velha Ciudad del Este - Paraguai.
Como já estamos "carecas" de fazer o roteiro via Francisco Beltrão,Realeza,Medianeira e Foz, desta vez optamos por fazer o seguinte roteiro:

Palhoça - Fraiburgo/ Caçador = 410 KM (Com direito a uma bela feijoada feita pelo meu sogro).

Caçador - Vargeão/Xanxerê/Maravilha/São Miguel do Oeste/Dionísio Cerqueira e 


Bernardo de Irigoyen - Argentina = 396 KM (Pela BR 282) - Comprinhas na Argentina.

"Viva Cristina" ... peso a 0,25 centavos de real  a vez do " Dame dos é nossa".


Bernardo de Irigoyen - Argentina - San Antônio/Andresito/Puerto Iguazú - 

Foz do Iguaçú = 190 KM (Camping Paudimar).


Total da kilometragem percorrida = 996 KM


Saímos no dia 07/01, como sempre não conseguimos sair cedo, mais logo após ao meio dia fomos para a estrada. Paradinha em Bom Retiro para um lanchinho e tocada até Lages passando por São José do Cerrito (assim não pagamos pedágio),Monte Carlo,Fraiburgo (Visitinha rápida ao Tio Nilton na farmácia) e Caçador (a casa da sogra).

08/01 Após um delicioso café da manhã e uma passadinha na casa da Gil, rumamos com destino ao extremo oeste catarinense, estrada bem tranquila. Parada para almoço as margens da BR 153 em Vargeão-SC no restaurante Meteoro,que tem um mirante que permite ver a beleza da região, para subir paga-se dois reais,porém a dona do restaurante disse que como havíamos almoçado não teríamos que pagar mais nada e poderíamos subir, então lá fomos nós, fizemos boas fotos e curtimos a vista. A propósito! a comida é simples porem boa, e a 17,50 por pessoa o bufe vem acompanhado de bife,polenta e um tipo de amburguer crioulo.
Nem tínhamos rodado 500 metros e vimos a placa que indicava acesso a cidade de Vargeão, como tínhamos que ir a uma lotérica, lá fomos nós, e para nossa surpresa, a cidade é de primeira, muito limpa e organizada, verdadeiro paraíso para quem gosta de sossego.Parabém ao povo e ao prefeito.Ainda na saída da cidade aproveitamos para  nos refrescar em uma fonte maravilhosa na saída da cidade.




Continuamos nossa tocada rumo à fronteira, passando por cidades como Xanxerê,Pinhalzinho,Maravilha a cidade das crianças, deu até vontade de dar um chego na casa do meu amigo Odi, parceiro dos tempos da Faculdade, mas ficamos só na foto do portal. Parada  vez ou outra para fotos, água e até uma bela fatia de melancia gelada. Passando por Guaraciaba, São Miguel do Oeste, também com fotos do portal da entrada da cidade onde será a nova morada de nosso  parceiro Cléverson, companheiro da viagem ao Atacama em 2011.























Na chegada a Dionísio Cerqueira um xarope de um motorista de ônibus da empresa Vava Tur nos encheu de buzinaço só porque estávamos parados para tirar uma foto na placa... carinha mais sem espírito de viajante... juro que até tentei mas não me contive... (crianças não façam isso) emparelhei com ele mais a frente, e tome dedo hehe. 
Demos uma rápida volta na cidade e fomos procurar onde fazer a carta verde (seguro contra terceiros obrigatório para carros brasileiros transitar na Argentina), fomos a um despachante no lado brasileiro, que nos informou que poderíamos fazer a carta verde do lado Argentino,(Bernardo de Irigoyen) acabei fazendo no posto de gasolina pagando 22,00 reais para 7 dias. Compramos pesos de cambistas na rua mesmo eles vendem mais barato que na casa de câmbio e são confiáveis, ao menos o que nos vendeu. Comprinhas de lanche no mercado, remédios e desodorante na farmácia (01 caixa de aspirina por 26 pesos = 6,50 reais "que venha a dor de cabeça").Até pensamos em passar a noite em um hotel por ali mas nos pediram R$ 280 "pila" por uma noite e em um hotel meia boca.
Parque público na divisa entre Dionísio Cerqueira e Bernardo de Irigoyen



Fizemos a votação e embora cansados, resolvemos tocar até Foz, ficando dentro de nosso roteiro.

Bernardo de Irigoyen (Ar), San Antonio (Ar), Andresito (Ar),Vanda (Ar),Puerto Iguaçú (Ar) e Foz do Iguaçu (Br).
Mesmo sendo macaco velho de estrada, nunca havíamos feito o caminho em direção à Foz por dentro de Argentina. Nossa conclusão:É muito bacana, a estrada é boa, toda pavimentada, sem pedágios e com 190 KM apenas, você sai do estremo Oeste catarinense e já esta em Foz do Iguaçu (Pr). Mais um detalhe, abastecendo com gasolina pura (Super) a míseros 10 Pesos, o que em real é igual a R$ 2,50.O que não recomendamos, é que se faça este trecho durante a noite, pois não há nada entre uma cidade e outra, a não ser os animais do Parque Nacional que constantemente atravessam a estrada,confesso que da uma certa tensão, mas fazer o que quem está na chuva é para se molhar, o que valeu muito foi que tivemos a oportunidade de fazer belas fotos do astro rei se pondo sobre o Parque Nacional de Iguaçu. Portanto cuidado para não maltratar os bichinhos.










Chegamos em Foz já passavam das 23:00hs, fomos direto ao camping Paldimar, e optamos por um quarto com ar e uma boa cama para a primeira noite. Preço R$ 130,00 por uma noite e café da manhã.Foi uma noite maravilhosa,dormimos muito bem e acordamos novinhos, prontos para curtir o Paraguai.